Taxista apresentava lesões no pescoço e nos dois braços, provocadas pelos bandidos. Foto: MANOEL MESSIAS/Agência

Taxista sofre tentativa de roubo na estrada do Lagoinha

ANDRADINA – Um taxista de 67 anos, residente no bairro Feltrin, e que faz pontos no terminal rodoviário e Av. Barão do Rio Branco, cruzamento com a rua Acácio e Silva, sofreu uma tentativa de roubo no início da madrugada de sábado (13), quando três passageiros, todos jovens e um deles aparentando ser adolescente, solicitou uma corrida até um clube de festas localizado na estrada Emitério Castilho Gimenez, que demanda ao antigo clube Lagoinha (desativado). O trio criminoso fugiu depois que a vítima reagiu. A Polícia Militar foi acionada, realizou patrulhamento mas não localizou nenhum suspeito. Foi registrado boletim de ocorrência no plantão policial.

A tentativa de roubo aconteceu quando o taxista iniciava seu turno no terminal rodoviário e próximo dos 30 minutos de sábado (13), três indivíduos se aproximaram e pediram uma corrida até o clube “Paraíso Festas”, distante aproximadamente 3 Km do centro da cidade. Eles se acomodaram no banco de trás do taxi, mas o taxista fez questão que um deles fosse para ao banco da frente.

Depois de todos entrarem no taxi, rumaram sentido ao bairro Passarelli e depois para a estrada vicinal que demanda ao Lagoinha. Pouco tempo depois de passarem pelo antigo ‘lixão’, um dos dois elementos que estava no banco de trás falou para o outro que “estava na hora”. Poucos segundos depois esse mesmo elemento aplicou uma gravata no pescoço da vítima, em um golpe conhecido como “mata leão”.

O outro indivíduo que estava no banco de passageiro ao lado do taxista puxou uma faca e anunciou o assalto, pedindo para ele passar todo o dinheiro.

Nesse momento o taxista puxou o braço do que aplicava a gravata nele, conseguindo se desvencilhar. Enquanto o indivíduo que estava com a faca desceu e dava a volta no veículo para se aproximar do motorista, ele rapidamente apanhou um pequeno porrete que estava embaixo do banco e enfrentou os três elementos.

Percebendo que a vítima resistiria, os três bandidos fugiram pela rua Finlândia, sentido às cohab Dehira e Otávio Minholi. A Polícia Militar foi avisada, realizou patrulhamento, mas não localizou nenhum suspeito.

O taxista apresentava lesões provocado por arranhões no pescoço e nos dois pulsos, além de reclamar de dores na musculatura da barriga, provavelmente provocado pela luta contra o indivíduo que aplicou-lhe a gravata. Ele não conseguiu lembrar dos rostos dos suspeitos e nem das vestimentas.

MIL NOTICIAS/Agência

Comments are closed.

>
error: Solicite a matéria por email!