Talita, 24 anos, vítima de feminicídio | Foto: Arquivo Pessoal

Jovem é morta por ex-namorado durante visita íntima em presídio de SP

SANTO ANDRÉ – A jovem Talita Karen Miranda Ferreira, de 24 anos, foi morta pelo ex-namorado Thiago Santos Brasileiro, 32, dentro do Centro de Detenção Provisória de Santo André (SP) no sábado (21).

Talita, 24 anos, vítima de feminicídio | Foto: Arquivo Pessoal

Talita, 24 anos, vítima de feminicídio | Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com o site DGBCPonte, ela queria confirmar o fim do relacionamento, mas foi estrangulada pelo ex durante a visita íntima.

O casal ficou junto por cerca de quatro meses e, segundo relato de familiares, o homem tentava controlar a vida da jovem de dentro da prisão.

“Vou lá falar com ele de uma vez por todas para ele parar com isso”, teria dito Talita para sua família, na última conversa que tiveram.

Uma irmã de Talita recebeu a notícia por telefone, de um número não identificado. “Tenho uma notícia chata para te dar: sua irmã foi encontrada morta dentro da penitenciária”, disse a voz. Os próprios familiares comunicaram a direção do presídio sobre a morte da jovem.

O boletim de ocorrência do 4º DP de Santo André informa que o diretor da unidade prisional, Odair Gomes, ordenou uma vistoria na cela 58 da ala D, “pois possivelmente haveria uma moça em óbito”. Três funcionários encontraram o corpo debaixo de uma beliche.

Em depoimento à polícia, Thiago confessou ter matado Talita em um “momento de ira”. O texto do boletim de ocorrência diz que “o interrogado disse estar arrependido do que fez, mas na hora estava com muita raiva”. O detento foi autuado por feminicídio.

O corpo de Talita foi enterrado no domingo (22) no cemitério Curuçá, em Santo André. Talita tinha quatro filhos. O  mais novo tem um ano e três meses. O mais velho é um menino de sete anos.

A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) informou que vai solicitar à Justiça a internação do preso em regime disciplinar diferenciado no presídio de Presidente Bernardes, no Interior do Estado, onde ele deverá ficar em cela individual com direito a duas horas de banho de sol.

MIRANDÓPOLIS

Casos como o registrado no sábado não são raros. Em agosto, por exemplo, uma mulher foi morta por enforcamento por detento no Presídio de Mirandópolis, Interior de São Paulo, porque, segundo o preso, ela estaria o traindo com outro homem.

DGABC.com

Comments are closed.

>