Foram apreendidos dois papelotes com droga sintética conhecida como 4k, além de cigarros de maconha e dois telefones celulares. Foto: DIVULGAÇÃO/PM

Mulher é presa em Lavínia com droga sintética conhecida como K4

LAVÍNIA – A Polícia Militar prendeu na manhã de quinta-feira, 17, uma mulher dentro de um ônibus depois de flagrada com dois pedaços de uma folha  de substância aparentando ser uma droga sintética conhecida  como K4 ,  além de dois celulares marca iPhone. Encaminhada à Delegacia de Polícia do município, foi indiciada, permanecendo à disposição da justiça. A droga e os celulares foram apreendidos pela Polícia Civil.

Foram apreendidos dois papelotes com droga sintética conhecida como 4k, além de cigarros de maconha e dois telefones celulares. Foto: DIVULGAÇÃO/PM

Foram apreendidos dois papelotes com droga sintética conhecida como 4k, além de cigarros de maconha e dois telefones celulares. Foto: DIVULGAÇÃO/PM

A prisão da acusada aconteceu próximo de 7h30, durante patrulhamento preventivo e ostensivo da equipe formada pela cabo PM Andressa e soldado PM Guaranha, pela Rua Andrade e Silva (Rodoviária), quando foi abordado ônibus da Empresa Reunidas que faz a linha São Paulo/Andradina.

No momento que um dos policiais militares entrou no ônibus, uma pessoa do sexo feminino demonstrou grande nervosismo. Rapidamente abordada, ela estava retirando de sua bolsa algumas porções de uma substância esverdeada aparentando ser maconha.

A mulher então foi retirada do ônibus pelo  policiais militares, sendo feita a revista pessoal, como preconiza o POP (Policiamento Ostensivo Preventivo) e o ART 249, busca pessoal em mulher  pela cabo PM  Andressa, sendo encontrados  dois pedaços de uma folha  de substância aparentando ser uma droga sintética conhecido como K4, além de dois celular marca iPhone.

Questionada sobre as substâncias conhecida como K4, a indiciada informou à equipe que pegou a droga na estação Barra Funda, na cidade de São Paulo, com uma mulher identificada apenas por Bruna e que a mesma pediu pra ela trazer pra Mirandópolis.

Informou ainda que seu marido está preso na penitenciária de Mirandópolis 1 (P1), identificado por Samuel Munarin, recolhido na cela 01, Raio 04, condenado pelo crime de tráfico (ART 157), cumprindo condenação a 7 anos e 10 meses.

Diante do material ilícito localizado, foi dada voz de prisão em flagrante pelo crime de tráfico de entorpecente,  lei 11343/2006, sendo informada sobre seus direitos constitucionais. Não foi feito o uso da algemas como preconiza Súmula vinculante 11, do STF e o Decreto 8858/16.

Produzida em laboratório, a maconha sintética, mais conhecida por K4, passou a ser consumida em unidades prisionais do Estado, motivando a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) a adotar uma série de medidas.

Drogas sintéticas são substâncias ou mistura de substâncias produzidas através de meios químicos, cujos principais componentes ativos não são encontrados na natureza. O termo sintético é na realidade ao que designa, pois a grande maioria dos fármacos consumidos para todos os fins são sintéticos, bem como aditivos alimentares e substancias utilizadas como cosméticos.

SUSPENSÃO DAS VISITAS

Pessoas flagradas tentando entrar com objetos ilícitos em unidades prisionais são automaticamente retiradas do rol de visitas e sofrem as medidas penais cabíveis.

Já os presos surpreendidos com drogas ou celulares, ou eu seriam os beneficiados com os mesmos, respondem criminalmente, além de sofrerem sanções disciplinares. Eles ainda perdem os benefícios conquistados durante o cumprimento da pena.

MIL NOTICIAS/Agência

Comments are closed.

error: Solicite a matéria por email!