Vereador 'Mário Gay' se envolveu em mais um escândalo na Câmara de Andradina. foto: Impactoonline

Vereador ‘Mário Gay’ se envolve em mais um escândalo na Câmara de Andradina

Ele invadiu uma reunião, fez ameaças para a mãe de seu ex-assessor, xingou uma outra mulher que ele agrediu anteriormente e foi retirado da sala a força por outro vereador

ANDRADINA – O vereador andradinense Mário Henrique Cardoso, o “Mário Gay”, conseguiu a proeza de piorar ainda mais sua situação junto à Câmara de Andradina, arranhar sua já desgastada imagem junto aos eleitores que o elegeram e os que não fizeram isso. Ele invadiu uma reunião que estava sendo realizada em uma sala, ameaçou agredir a mãe do ex-assessor que o acusa de assédio, xingou uma mulher que ele já havia agredido anteriormente e a coisa só não piorou porque vereadores presentes conseguiram retira-lo do local. O caso foi parar no plantão da Delegacia Seccional de Andradina, onde foi registrado um boletim de ocorrência.

Vereador 'Mário Gay' se envolveu em mais um escândalo na Câmara de Andradina. foto: Impactoonline

Vereador ‘Mário Gay’ se envolveu em mais um escândalo na Câmara de Andradina. foto: Impactoonline

Mario Gay vem se envolvendo em uma série de escândalos (já seriam quatro no total), questionou o porque dela estar sendo realizada e proferiu uma série de ameaças à mulher que estava reunida com alguns vereadores que cobrava uma posição oficial e que tomasse atitude por parte da Câmara em relação às várias denúncias contra ele, principalmente a última, contra seu filho. Ao saber da reunião, ele teria invadido a sala aos gritos, palavrões e xingamentos, ameaçando contra a integridade física da mulher.

A confusão foi grande e Mário Gay foi contido por colegas que estavam presentes na reunião. Segundo consta, a reunião foi encerrada assim que o vereador invadiu a sala e as mulheres presentes decidiram se encaminhar até a delegacia a fim de registrar mais um Boletim de Ocorrência contra o vereador. Desta vez, as mulheres solicitaram a aplicação da Lei Maria da Penha, mas o vereador tem imunidade parlamentar e teria de ser afastado para responder junto à Justiça comum.

A situação foi tão tensa que Mário sequer participou da sessão ordinária que aconteceu logo em seguida. Segundo testemunhas, ele ficou do lado de fora do prédio, com seu estado emocional completamente fora de controle e seguiu fazendo ameaças para quem quisesse ouvir.

Após mais esse escândalo, Mario Gay pode ter seu pedido de CEI lido na próxima seção da Câmara a ser realizado na segunda-feira (16). Havia movimentação para que ele fosse retirado da pauta da Casa de Leis, porém, ficou difícil para o presidente Silas Carlos Oliveira segure esse “rojão”. Se fizer isso, o presidente poderá sofrer desgaste em sua imagem pública.

A expectativa agora é de que a denúncia contra o vereador, pedindo a abertura de uma CEI (Comissão Especial de Investigação), que pode culminar em sua cassação, seja colocada em pauta na próxima sessão do dia 16.

Tem vereador abraçando a causa de Mário Gay, mas a partir do momento em que for apresentado um pedido para que se investigue um vereador, os demais dificilmente ficarão do seu lado, a não ser que queiram também brigar por algo tomado de escândalo.

MIL NOTICIAS/Agência

Comments are closed.

>